ÓPERA DOS TRÊS VINTÉNS

SINOPSE

O desafio para este trabalho teve como base o estágio profissional dos alunos da escola de Jazz Ofício das Artes. Assim, propusemos trabalhar a Ópera dos 3 Vinténs com suporte dramatúrgico e musical, com o intuito de estabelecer uma linguagem entre o jazz, a narrativa e a música complexa de Kurt Weill, proporcionando aos jovens estudantes o primeiro contacto com uma obra de referência musical e teatral. Apelando à criatividade destes jovens, construímos o I acto desta obra complexa e intemporal com base numa estética contemporânea e próxima dos bairros periféricos das grandes cidades.

A peça é formada por quatro grupos de personagens: os bandidos, os mendigos, os polícias e as prostitutas. Mac-da-naifa é o chefe dos bandidos e o Sr. Peachum é o dono da empresa que controla e explora os mendigos. A exposição do conflito dramático tem validade apenas provisória e heurística, mas é um primeiro passo necessário.

O conflito inicia-se quando Mac-da-naifa e Polly Peachum (filha do Sr. Peachum) resolvem casar-se, o que será impedido pelo Sr. Peachum fazendo pressão sobre o chefe da polícia de Londres, Tiger Brown, amigo de longa data de Mac-da-naifa.

A Ópera dos Três Vinténs […] é uma espécie de relatório do que o espectador deseja ver da vida no teatro. Como porém o espectador vê coisas que não desejaria ver, como vê seus desejos não apenas saciados mas criticados (vê-se não tanto como sujeito, mas como objecto) ele encontra-se teoricamente capaz de atribuir ao teatro uma nova função.

(Brecht 1967: 67)

Direcção Artística, Adaptação e Cenografia: Amândio Anastácio

Direcção Musical: João Bastos

Interpretação: Ana Casa Branca, Marcela Nascimento, Soraia Caldeira, Patrícia Valente, Diana Linguiça, Sandra Borges, Susana Figueiredo, Sofia Viola e João Carvalho

Músicos: Abdulay Correia, António Arimatea, Artur Ferreira, Daniel Moura, Eliana Lourenço Gilea Neves, Gilner Batista, Gonçalo Almodôvar, Gonçalo Gomes, João Viola, Josias D’Assunção, Lamine Carvalho, Luís Fradinho, Manuel Candeias, Pedro Silva, Pedro Aldeias e Rúben Domingues

Produção: Alexandra Anastácio e Carla Pomares

Figurinos: Ana Vilhena

Maquilhagem: Ana Candeias, Ana Vilhena, Inês Samina

Desenho de Luz: João Sofio e Amândio Anastácio

Técnico de Som: Paulo Alface

Revisão de Texto e Tradução: Adelina Cristóvão

Design Gráfico: Baltazar Martins

Fotografia e Video: Inês Samina

DURAÇÃO

70 minutos

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA

M/12

EQUIPA PARA ITINERÂNCIA

  • 1 Director Artistico
  • 1 Director Musical
  • 3 Técnicos
  • 1 Produtor
  • 2 Maquilhadores
  • 9 Actores
  • 17 Músicos

ESPAÇO

Palco, que permita a instalação do cenário com as seguintes dimensões:

Largura: 14m; Altura: 8; Profundidade: 10m.

 

TEMPO DE MONTAGEM:

18 h | 6 turnos

TEMPO DE DESMONTAGEM:

2h

Alimentação para 3 pessoas e alojamento se necessário

Quando deslocado acresce uma compensação de distancia a Montemor-o-Novo calculada a 0,45€/km

Co-Produção: Oficio das Artes

X