EAT ME - Mireia Izquierdo

“Eat me” pretende explorar a forma como nos relacionamos com a comida e os nossos hábitos alimentares numa sociedade que associa a comida ao mercantilismo e imagem. Depois de lutar pela aceitação do seu próprio corpo, Mireia apercebe-se da influência do ícone de beleza no indivíduo e começa a sua pesquisa na desconexão entre a imagem real e a percepção de imagem que um tem sobre si mesmo. A aparência condicionada por ideais de beleza e sucesso, a forma como nos apresentamos na sociedade, um jogo de artificialidade e descontrolo, tudo conectado com a necessidade básica que é o alimento.

ACTIVIDADES

A primeira fase desta pesquisa consistirá numa série de pesquisas e entrevistas a voluntários que queiram partilhas as suas experiências com a intenção de abrir um debate sobre o tema – a conexão entre a comida e a imagem. Excertos das entrevistas enriquecerão a construção cénica do espectáculo.

Numa segunda fase explorar-se-á a construção cénica experimentando exercícios com texto, movimento e elementos visuais, pretendendo levar o público numa viagem sensitiva por sabores, imagens e sons.

Uma terceira fase da residência corresponderá aos ensaios.

 

Please don't call me

Mireia é uma performer espanhola, residente em Amsterdão, que explora a fisicalidade do corpo para a performance. Interessa-lhe

pesquisar o limite entre o teatro físico e a dança na performance. Trabalhou com coreógrafos

e artistas como Olivier de Sagazan, Gabriela Zuarez, Lisa Groot Haar, Marjolein Vogels e o KAIA

Collective.

 

Mireia Izquierdo e Andrés Liváno

Jovens a partir dos 15 anos e adultos.



Entre 18 e 24 Junho de 2018 decorreu a residência artística de criação “Eat me” com ensaios no Centro Juvenil de Montemor-o-Novo, com um ensaio final aberto ao público.

 

X