CONTOS DO ARCO DA VELHA

SINOPSE

Era uma velha que morava numa ilha e tinha um gato que se chamava Ervilha…”, mas esse gato um dia foi embora.

A história que despoleta essa partida é a primeira recordação que, junto ao seu fogão de lenha, a D. Chica partilha com quem a vê e ouve – a história do esturjão que concede três oferendas à velhinha, no caso desta o devolver à água.

Apesar da partida, o seu Ervilha permanece sempre fiel e amigo e continua a dar notícias àquela que foi sua dona, por carta. É num desses escritos que a D. Chica acaba por desvendar e revelar as aventuras do gato Ervilha que, contrariamente a todos os outros gatos, não sabe voar.

Por fim, a simpática velhinha lembra-se de mais uma carta, que conta a peripécia vivida entre os Senhores Corvos, auxiliados pelo sábio Sr. Mocho, e a senhora Cobra, que teima comer-lhes todos os seus ovos.

Estes são os Contos do Arco da Velha para se ver, ouvir e deliciar.

Encenação: Raul Constante Pereira

Dramaturgia: Joana Luz Figueira

Interpretação: Joana Luz Figueira, Raul Constante Pereira e Sofia Silva

Cenografia e Marionetas: Sofia Silva

Construção Cénica: Raul Constante Pereira e Sofia Silva

Direcção de Produção: Pedro Leitão

Co-Produção: Alma d’Arame

DURAÇÃO

45 minutos

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA

M/4 anos

PÚBLICO-ALVO

1º e 2º ciclo e público em geral

TIPOLOGIA

Teatro de Marionetas e Atores

X