ANIMATA - Animação Performativa

O contador de histórias aumentado

De 28/11 a 01/12 com Amândio Anastácio e o Prof. Luís Grifu (ESMAD – Porto).

Com esta residência procura-se um contacto do diretor Amândio Anastácio e do professor Luis Grifu com o universo das artes performativas. Por outro lado, procura-se estimular e discutir novas abordagens ao teatro e à performance. Tem como objetivo principal o cruzamento entre as artes performativas com as artes digitais suportadas por sistemas interativos. Esta residência enquadra-se na unidade curricular de Animação Performativa em tempo real que tem como orientação o desenho de interação e a produção de conteúdos visuais interativos em contextos performativos.

Pretende-se que os envolvidos desenvolvam um dialogo entre o interActor e a objeto performativo virtual, sensibilizando ambas as partes (diretor e performer) para os vários aspetos que caracterizam a criação de um ato performativo com esta natureza. Neste sentido, foi escolhida a companhia Alma d’Arame para esta residência não só pela sua reconhecida qualidade, mas também porque tem vindo a desenvolver um trabalho inovador e diferenciador no panorama do teatro em Portugal, explorando novas técnicas, misturando tecnologias, cruzando linguagens. Pela sua abertura e vontade de explorar novos caminhos, a companhia Alma d’Arame reúne todas as condições para que esta residência possa ter sucesso.

Reproduzir vídeo

DESCRIÇÃO

Propomos uma metodologia baseada na interação entre o objeto performativo e o ator/manipulador. Uma relação entre a expressão corporal e a sua representação digital tendo a interface como elemento chave entre relação do objeto performativo e o manipulador. Um espaço-laboratório de exploração da animação performativa (tempo real), recorrendo a diversas interfaces (digitais) de interação e pretendendo recrear os tradicionais controladores de marionetas. Um espaço também de experimentação da linguagem e expressividade do(s) corpo(s) e da procura de narrativas nas relações estabelecidas, através da manipulação, entre as personagens. Utiliza os elementos dramáticos de modo a construir histórias (im)possíveis, relações improváveis (ou não), tendo sempre o foco partilhado entre o corpo animado e o corpo que lhe dá vida.

Esta residência servirá de laboratório criativo e não tem como objetivo principal a criação de uma performance para o público em geral, mas sim, explorar cruzamentos disciplinares e linguagens. Tratando-se de um espaço de criação colaborativo experimental, pretende-se realizar uma apresentação final ao público que possa suscitar novas experiências abrindo espaço para a discussão.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Os objetivos específicos da presente ação são os seguintes:

  • Facilitar o uso de interfaces de interação, através da metodologia proposta;
  • Expandir o potencial do contador de histórias através da animação performativa;
  • Mobilizar metodologias de trabalho de projeto no sentido da aquisição de aprendizagens diversificadas e integradas;
  • Explorar o corpo (movimento, gesto e voz) como potencial interface de manipulação/controlo expressivo na criação artística digital;
  1. Introdução: 4 horas
  • Contextualização das marionetas virtuais; 
  • Apresentação da metodologia; 
  • Princípios básicos da animação performativa; 
  • Métodos de interação: Interfaces – expressão corporal; 
  1. Exploração da Animação Performativa: 14 horas
  • Dar vida a objetos performativos (expressão dramática); 
  • O corpo como “controlador” de objetos performativos; 
  • Ferramentas de animação performativa e a sua interligação; 
  • Exploração dos métodos de interação com interfaces digitais; 

  1. Projeto de aplicação da Animação Performativa: 12 horas

TOTAL: 30 HORAS

Bell, J. (2001). Puppets, Masks and Performing Objects. Mit Press, London.
Darley, C. (2009). The Space to Move : Essentials of Movement Training. Nick Hern Books, London.
Hirtes, S., Hoch, M., Lintermann, B., Norman, S., Bowers, J., Mikael, K., Hellstrom, J., Carlzon, M. (1999). Production

Tools for Electronic Arenas: Event Management and Content Production. KTH, Royal Institute of Technology,

Stockhom.
Kalal, F. (2008). Combining Performance Animation and Virtual Reality for early childhood education role-play, (Tese de

Mestrado). Ohio: Universidade de Ohio.
Leite, L. (2006). Marionetas Virtuais – Animação interactiva em tempo real, (Tese de Mestrado). Porto: Universidade do

Porto.
Noble, J. (2009). Programming Interactivity. O ́Reilly. California.

Tufnell, M., Crickmay, C. (2006). Body, Space, Image : Notes Towards, Improvisation and Performance. Dance Books, London.

X