A "SOLITÁRIA" VAI A TRONDHEIM

Desenvolvida pela Universidade de Ciências e Tecnologias de Trondheim, Noruega, a 50th International Conference on Live Interfaces (ICLI 2020) é uma conferência bienal organizada para reunir pessoas que trabalham com interfaces ao vivo nas artes do espetáculo – incluindo música, artes visuais, dança, marionetas, robótica ou jogos.

Posteriormente à criação da performance (desenvolvida com base num vocabulário gestual e num sistema interativo para manipular som e imagem em tempo real) e de inúmeras apresentações da mesma, Amândio Anastácio e Luís Leite (Grifu) abraçaram um novo desafio com a elaboração do artigo “Solitária – Gestural Interface for Puppetry Performance“, que será publicada na 50th International Conference on Live Interfaces (ICLI 2020) em Trondheim.

É no tempo que passamos connosco próprios que nos encontramos. O reviver de memórias pessoais e íntimas, o espaço preciso para nos refugiarmos e só se dá quando estamos fechados em nós mesmos. É com base nesta permuta que a Solitária se desenvolveu. Um confronto entre o virtual e a realidade em que a cinestesia do corpo e a ocupação do espaço vazio cria uma narrativa visual e sonora.

Luís Leite começou a desenvolver a temática da marioneta virtual em 2006 com a dissertação “Marionetas Virtuais – Animação Interativa em Tempo Real” para a obtenção do grau de Mestre em Tecnologia Multimédia pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Seria uma questão de tempo até que se cruzasse com Amândio Anastácio, director artístico da Alma d’Arame e, em conjunto, começassem a desenvolver a performance Solitária.

A Solitária foi apresentada no Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP’19) em outubro de 2019.

X