4º Encontro de Marionetas de Montemor-o-Novo
2 a 12 de Junho de 2011

No caminho trilhado por anteriores edições, assinaladas por um percurso num crescendo sustentado sem jamais abdicar de uma saudável ambição e que alcançaram, de forma consistente níveis de público significativos, expressos em salas muito preenchidas ou mesmo esgotadas, temos a clara percepção de que o nosso trabalho de consolidação do Encontro através da atracção de novos públicos já está assinalavelmente enraizado. Este facto encontrará explicação na capacidade de atracção exercida por um programa variado e preenchido com a participação de companhias nacionais de grande qualidade artística, pedagógica e educacional, que se reflecte na notável adesão de público jovem e adulto que tem acorrido aos espectáculos apresentados, geralmente complementados por sessões explicativas e de divulgação dos segredos da Arte da Marioneta, demonstrando-se assim que existe na área de Montemor-o-Novo um público cada vez mais exigente.
Recorde-se que a última edição proporcionou um crescimento de 48% relativamente à edição anterior, em termos globais e que associado ao elevado nível dos espectáculos proporcionados, ficou claramente patente que as actividades complementares (nomeadamente, a exposição dos Bonecos de Santo Aleixo e os dois workshops realizados, completamente esgotados), representaram uma verdadeira mais-valia para o Encontro. Também as iniciativas paralelas, que designámos por Programa Off, acompanharam o crescimento do Encontro numa convergência de sinergias, também fruto de um mais consistente diálogo e entendimento com outros agentes culturais da cidade, reflectindo-se numa dinâmica global que se traduziu num evidente contributo para o sucesso da programação e um acréscimo significativo da assistência.

Com a experiência adquirida e validada pelas repercussões na comunidade para além do termo do Encontro, propomo-nos não só contribuir para uma afirmação ainda mais forte do melhor que se faz no panorama nacional da ARTE DA MARIONETA, como proporcionar numa área geográfica periférica estímulos enriquecedores e potencialmente geradores de reflexão, permitindo à comunidade Montemorense não apenas a fruição dos espectáculos mas uma participação activa e reprodutora de que um conjunto de workshops previstos se configura como uma de várias ferramentas.

Com vista a materializar a consolidação desejada e o salto qualitativo ambicionado, nesta edição programamos o aumento sustentado do número de apresentações, com 11 espectáculos e a presença de 13 companhias nacionais de elevados níveis artísticos e 1 internacional com diferentes formas de abordagem ao mundo da marioneta, as quais permitirão um espaço de reflexão e abertura a novas ideias, outras possibilidades de olhar este universo artístico e, deste modo, continuar a contribuir para o crescimento de um público cada vez mais exigente e diversificado.

***

Neste encontro, reflectindo também o crescimento da companhia, a Alma d’Arame apresenta uma criações própria intitulada O Romance da Raposa, uma co-produção com as Marionetas de Lisboa, destinado a um público infanto-juvenil a estrear durante o Encontro.

Nesta edição será enfatizada a centralidade do Encontro no eixo do Cine-Teatro Curvo Semedo/Centro Cultural Juvenil com maior utilização dos espaços fronteiros, nomeadamente o Jardim Público, se possível com a utilização de estruturas cobertas desmontáveis que permitam uma menor dependência das contingências meteorológicas. Manifestamos, também, a nossa intenção de reforçar as acções complementares na área da formação e divulgação nos segredos da Arte da Marioneta através da oferta de workshops e ainda a organização de um seminário e uma Masterclass dedicada a profissionais e especialistas, abrindo assim um novo pólo de intervenção do Encontro disponibilizando mais uma área de valorização.
Assim, cremos ser pertinente reforçar o investimento na iniciativa “Conversas com fio” com vista à compilação de testemunhos e intervenções e a sua publicação e difusão, constituindo-se como matéria passível de estudo da parte de gerações vindouras e um, talvez modesto mas não despiciendo, contributo para a História da Arte da Marioneta em Portugal.

Outra das novidades que proporemos, como referido, é a realização de uma Masterclass com um dos mestres mundiais do teatro de marionetas, Luk de Bruyker, que nos chega da Bélgica, tendo sido fundador do Taptoe Teather, companhia com 30 anos de história que já esteve presente várias vezes no nosso país. Esta Masterclass, com inscrições limitadas, será especialmente orientada para público especializado, como profissionais do universo das marionetas, do teatro e das artes performativas, bem como outros interessados.
Também estão previstos workshops, ambos de construção de marionetas em que um deles se destina a um público infanto-juvenil e o outro destina-se a professores do ensino básico e educadores de infância. O trabalho incidirá na manipulação e construção de marionetas, numa demonstração das potencialidades do teatro, e da arte da marioneta em particular, como meios utilizados para estimular a imaginação de crianças, adolescentes e adultos.

À imagem dos anos anteriores, no final do IV Encontro será promovida uma mesa redonda com vista a um balanço participado sobre este evento.

Direcção Artística/Produção
Amândio Anastácio

Direcção de Produção
Sandra Carneiro

Direcção Técnica
João Sofio

Conversas e Consultadoria Artística
Ildeberto Gama

Assistentes Técnicos
António Costa, Rui Carranca

Produção Executiva
Pedro Grenha, Nuno Grenha

Design
Miguel Rocha

Fotografia
Tiago Fróis

Captação Vídeo
Jacinto Antas, Rui Carranca

Edição Vídeo
Jacinto Antas

Web Designer
Rui Cacilhas

Revisão de Textos
Adelina Cristóvão

Dossier Completo

Aceda ao dossier completo do IV Encontro Internacional de Marionetas de Montemor-o-Novo

IV Encontro Internacional de Marionetas de Montemor-o-Novo

Ver dossier completo
X