EQUIPA

 

Direcção Artística/ Produção/Programação:

Amândio Anastácio

 

Direcção de Produção/

Produção Executiva:

Maria Manuel Pinto

 

Conversas/ Programação:

Ildeberto Gama

 

Direcção Técnica:

João Sofio

 

Técnicos:

João Bastos

 

Produção:

Pedro Grenha e Catarina Mota

 

Captação audiovisual:

Rui Cacilhas

 

Edição vídeo:

Rui Cacilhas e João Bastos

 

Técnico Multimédia:

Rui Cacilhas

 

Fotografia:

Tiago Fróis

 

Design:

Susana Marques

 

Revisão de textos:

Adelina Cristóvão

 

Voluntários:

Ricardo Pires

 

V ENCONTRO INTERNACIONAL DE MARIONETAS DE MONTEMOR-O-NOVO 2012

E

stamos já na 5ª edição dos Encontros!

 

É com natural satisfação que a Alma d’Arame a promove, olhando para o percurso trilhado pelas anteriores edições que se pautaram por um crescendo sustentado mas saudavelmente ambicioso, granjeando de forma consistente níveis de público significativos, o que, naturalmente, mais nos motiva a continuar um trabalho consolidado e que reconhecidamente conquistou um espaço singular na programação cultural nacional.

Para isso, sem dúvida, o cuidado em oferecer um programa variado e preenchido com a participação de companhias nacionais e internacionais de grande qualidade artística e educacional, tem-se refletido numa notável adesão de público jovem e adulto que acorre aos espectáculos, usufruindo ainda de sessões explicativas e de divulgação dos segredos da Arte da Marioneta, contribuindo claramente para a elevação do grau de exigência desse público que desde cedo extravasou os limites da área de Montemor-o-Novo.

A última edição, na senda do crescimento referido, representou um acréscimo de 48% relativamente à edição anterior, em termos globais, em que, além do elevado nível dos espectáculos que tiveram lugar, o incremento das actividades complementares, representou uma verdadeira mais-valia para o Encontro.

Também as iniciativas paralelas, inseridas no Programa Off, acompanharam o crescimento do Encontro, resultando numa convergência de sinergias que são fruto de um mais consistente diálogo e entendimento com outros agentes culturais da cidade, que se traduziu num evidente contributo para o sucesso da programação e um acréscimo significativo da assistência.

 

Com a experiência adquirida e validada pelas repercussões na comunidade para além do termo do Encontro, continuaremos não só contribuir para uma afirmação ainda mais forte do melhor que se faz no panorama nacional da ARTE DA MARIONETA, como a proporcionar, numa área geográfica periférica e imerecidamente negligenciada, estímulos enriquecedores e potencialmente geradores de reflexão, permitindo, deste modo, à comunidade Montemorense e aos numerosos visitantes, não apenas a fruição dos espectáculos mas uma participação activa e reprodutora de que o conjunto de iniciativas previstas se configura como uma ferramenta de enorme relevância.

Com vista a corresponder às expectativas que naturalmente têm crescido de edição para edição e apesar das contingências que atravessam a actualidade nacional e a que não somos imunes, foi agora programado um aumento sustentado do número de apresentações, com 16 espectáculos e a presença de 11 companhias nacionais e estrangeiras de elevados níveis artísticos e com diferentes formas de abordagem ao mundo da marioneta, as quais suscitarão seguramente um espaço de reflexão e abertura a novas ideias, a outros modos de olhar este universo artístico e, deste modo, continuar a suscitar o crescimento de um público cada vez mais exigente e diversificado.

Neste encontro, reflectindo também o crescimento da companhia, a Alma d’Arame apresenta duas criações próprias intituladas respectivamente “Canto”, destinada a um público adulto e, em estreia, visando um público infanto-juvenil, “As histórias do Zé Broa” reconstituindo um curioso dispositivo de autoria de Manuel Rosado, marionetista popular

famoso pelo seu Pavilhão Mexicano com que percorria as feiras portuguesas em meados do século passado.

Nesta edição são reforçadas as acções complementares na área da formação e divulgação nos segredos da Arte da Marioneta, através de workshops dedicados a alunos, profissionais e especialistas e, ainda, a organização de um seminário temático constituindo assim um outro pólo de intervenção do Encontro e mais uma área de valorização.

Assim, cremos ser pertinente dar continuidade à iniciativa “Conversas com fio” com vista à compilação de testemunhos e intervenções e a sua publicação e difusão, constituindo-se como matéria passível de estudo para gerações vindouras e um, talvez modesto mas não despiciendo, contributo para a História da Arte da Marioneta em Portugal.

 

Finalmente, e à imagem dos anos anteriores, no final do V Encontro será promovida uma mesa redonda com vista a um balanço participado sobre este evento.