A

ENCONTRO DE MARIONETAS TRADICIONAIS VAI À FEIRA s feiras sempre foram um espaço essencial para a afirmação das comunidades e do seu relacionamento com o exterior, verdadeiras “portas do Mundo”. Outrora, quando as populações mais periféricas “vinham à feira”, a velocidade de deslocação e viagem eram consideravelmente diferentes do que hoje em dia acontece e, como tal, geralmente implicava uma ou duas noites de pernoita nas próprias faldas da feira, criando-se assim um tempo de lazer que era aproveitado por trupes de saltimbancos, marionetistas e outras diversões, hoje quase irremediavelmente reduzidas aos carrosséis, barracas de tiro e a venda de farturas, pipocas e algodão doce. Alterada a dinâmica e fluxo dos públicos, acrescida à natural modernização da própria estrutura da feira, muitas daquelas actividades outrora populares foram caindo no esquecimento. O teatro de marionetas foi uma das chamadas Artes Performativas que maior incremento, evolução e transfiguração tem conhecido nas mais recentes décadas, qual fénix renascida das cinzas. Assim, o seu retorno ao espaço humano da Feira é não só desejável como se impõe como corolário de uma interacção comunitária simultaneamente de reavivamento de memórias e de geração de memória futura.
PROGRAMA 4 de Setembro (Sexta) 19h30/20h30/21h30 Indecisas Produções Bolas de contacto/sabão · Malabarismo · Pirotecnia Palco Secundário (junto às tasquinhas) 5 de Setembro (Sábado) 17h30 Marionetas da Feira Folganças de Cordel Espaço Brincafeira 21h00 Irmãos Desgraça Espectáculo de rua Palco Secundário (junto às tasquinhas) 6 de Setembro (Domingo) 18h00 Algazarra Marionetas Tobias & Tomé Espaço Brincafeira 21h00 Vitor Costa Teatro D. Roberto Avenida da Feira
Companhia Indecisas Produções Bolas de contacto e sabão | Malabarismo | Pirótécnia Animação circence com malabarismo, bolas de sabão e espectáculo de luz e fogo.

 

FICHA TÉCNICA

Interpretação: Jorge Serena e Diana Antunes

Duração: 40 + 40 + 10 minutos

CE: Todas as idades

Marionetas da Feira “Folganças de Cordel” Os bonecreiros das terras de Santa Maria chegam com as suas marionetas aos lugarejos, vilas e castelos, espalhando alegria, magia e diversão. Estes contam uma história de que noutros tempos morava num castelo uma princesa solitária vigiada por um terrível monstro. Um jovem irá salvá-la montado no seu burro teimoso. Para isto terão de vencer o vigilante bem como o seu terrível dono e senhor, sempre munido de uma armadura de ferro e de um veloz cavalo de batalha. No final, um desfecho inesperado fascinará infantes e infantas, provocando gargalhadas mil a damas e cavalheiros.

 

FICHA TÉCNICA

Original: Marionetas da Feira

Autores: Alberto Castelo e Rui Sousa

Técnica: Marionetas de Fios

Bonecreiros/Marionetistas: Rui Sousa e Alberto Castelo

Marionetas: Rui Sousa

Palco Móvel/estrutura Cénica: Alberto Castelo

Figurinos: Telma Pedroso

Banda Sonora: retirada do cancioneiro de Afonso X

Origem: Santa Maria da Feira; Duração: 30’ ; CE: Todas as idades

Companhia IRMÃOS DESGRAÇA Uma desgraça nunca vem só. Neste caso veio em dose dupla. Dois irmãos gémeos falsos que infelizmente não foram separados à nascença, fugiram à sarjeta graças ao mais ou menos maravilhoso mundo do espectáculo. Espectáculo de rua com equilíbrios, manuseamento de objectos e fogo.

 

FICHA TÉCNICA

Interpretação: Figa e Zé Ramos

Duração: 60’

CE: Todas as idades

Algazarra Marionetas “Tobias & Tomé” Tobias e Tomé, dois pequenos porcos, querem fazer uma festa e decidem convidar os animais: leão, tartaruga, cisne, peixes e borboletas, são algumas das marionetas que veremos evoluir em cena ao som da música O Carnaval dos Animais de Camille Saint-Saëns.

 

FICHA TÉCNICA

Encenação: Carlos Lança

Marionetas: Joana Ribeira e Marta Pacheco

Marionetistas: Joana Ribeira e Carlos Lança

Autor(s): Carlos Lança

Duração – 30’ CE – Maiores de 4 anos.

Victor Costa “Robertos Sta. Bárbara” Os Robertos Santa-Bárbara são hoje o derradeiro exemplo do teatro ambulante de fantoches de tradição oral e genuinamente popular, apresentados por Vítor Costa, filho de João Santa-bárbara Costa que foi genro de um dos derradeiros discípulos do grande Mestre Manuel Rosado.

 

FICHA TÉCNICA

Interpretação – Victor Costa

Duração – 30’

CE: Todas as idades